14 de mai de 2014

Teenage Dream - 53

Justin's P.O.V
Acordei dos pensamentos com Blaire me batendo. Olhei para ela indignado e ela apenas cruzou os braços. Não entendo essas mulheres.

- Porque tá me batendo? Endoidou foi?
- Olha você me respeita. Eu querendo falar com você, e você aí, gemendo. Era bom que alguém chegasse aqui, ou que eu até gravasse. O que foi aquilo?
- Ah, eu nos meus pensamentos.
- Com outras mulheres? Transando? Tendo prazer? - Perguntou alterada.
- Eu me imagino como um criminoso, e você como minha massagista, aí a gente transa e tals. Nada demais amor, relaxa.
- Como relaxar? Você me traiu, como quer que eu acredite que não possa fazer isso novamente? Em, me diz?
- Eu não vou te prometer nada, porque quando eu prometo não cumpro, então eu vou dizer que não farei novamente. Sem promessa, nem nada. Apenas quero que você confie em mim amor. Eu já me arrependi.
- Tá, enfim... Eu acho que hoje faz três meses de gravidez.
- O bebê ainda deve tá do tamanho da sua unha Blaire, e olha que você vive roendo, certo?
- Olha, você cala a boca Justin. Eu parei de roer a um mês.
- Tá bom meu amor. Vem ficar aqui comigo, estou com saudades de você.
- Ok. 

Deitou a cabeça na dobra do meu pescoço e ficou agarradinha comigo. Eu fiquei fazendo carinho em sua barriga e em seus cabelos enquanto ela falava de coisas lindas sobre o bebê. Eu achava interessante ouvir aquilo, ela iria fazer dezesseis anos ainda, e já pensava no bebê com tanto cuidado. De pensar que à algumas semanas atrás ela meio que queria abortar, com medo de morrer com o parto, ou de não conseguir cuidar do bebê, me ajuda, porque ela mudou de ideia. Ela quer isso, nós vamos cuidar disso juntos. Nossa história ainda está no começo.

- Blaire meu amor...
- Sim?
- O que você acha da gente viajar juntos? Algo para distrair!
- Uma boa ideia porque a Caitlin nunca mais apareceu, e tals... Podemos!
- É... - Lembrei que ela poderia ter perdido o bebê com a esfaqueada que a Caitlin deu nela.

Pensei na possibilidade de fugir disso tudo, pensei em tudo que a gente poderia fazer longe daqui, em paz. Eu poderia pedi-la em casamento no seu quinto mês de casamento, poderíamos organizar a festa um bom tempo antes. Seriam as melhores "férias" que eu poderia ter na minha vida.

- Ei. - Chamei sua atenção.
- Sim?
- Ei. - Chamei sua atenção, novamente.
- Sim? - Respondeu de novo.
- Ei. - Chamei sua atenção, novamente.
- Diz! - Respondeu irritada.
- Eu te amo com toda a minha alma. - Sorri e a beijei.
- Eu também te amo. - Sorriu.
- Posso cantar uns trechos de uma música pra você?
- Pode sim.

Quando eu te conheci, garota, meu coração bateu, bateu. 
Agora as borboletas no meu estômago não vão parar, parar. 
E mesmo que isso seja um amor difícil, é tudo que temos. 
E nós vamos continuar, continuar a escalar até o topo da montanha. 
Seu mundo é meu mundo. E minha luta é sua luta. Minha respiração é sua respiração. E seu coração, e agora eu tenho o meu.
E, garota, você é meu único amor, meu único coração. Minha única vida com certeza. Garota, deixe-me te dizer uma vez. Garota, eu amo, garota eu amo você.
E eu serei seu único garoto, você será minha garota número um...

- Que linda amor, amei! Como chama, você que escreveu?
- Obrigado. Uma vez e sim, eu que escrevi. À alguns meses atrás.
- E porque veio cantar só agora?
- Deu vontade. - Soltei uma risada de leve, arrancando sorrisos de sua face.
- Eu amo você, demais. - Disse e se aproximou, me beijando.


~ + ~
Capítulo pequeno porque sim, mentira. Gente me perdoem! Eu estou com pouco tempo para escrever, eu tenho 4 trabalhos pra fazer, SOZINHA. Eu estou fodida no máximo nível. E são todos para entregar amanhã, então se eu não fizer direito, eu não ganho ponto, ou seja, eu fico abaixo da média. Espero que me entendam. Obrigada pelos comentários, amo vocês. Bieberkiss e até mais <3

Um comentário: