24 de abr de 2014

Teenage Dream - 14





Blaire’s P.O.V

Não deu tempo de fazer nada além de eu correr para a cozinha e procurar pelas maiores facas, abri a janela da cozinha sem fazer barulho, afinal, ela não sabe que vim pra cá. Coloquei parte do meu corpo para fora da cozinha e arremessei algumas facas, deixando duas acertarem seu braço e perna, que logo soltaram uma poça de sangue. Entrei para a cozinha de novo e fechei a janela. Ouvi os gritos de Caitlin e do pessoal, chamando por mim, apenas ignorei e voltei para a sala, em um canto que ninguém poderia me ver, chamei baixinho por Tales, Ammy e Justin, que logo olharam para trás à procura de mim, chamei com a mão e eles vieram até onde eu estava, entreguei duas facas à cada um. Fui ao quarto de Ane e entreguei duas facas à ela, é hoje que esse plano começa. Não podemos deixar para depois!



- Este plano começa hoje, eu à vi com uma faca na mão, e à acertei com duas, tem alguma no jardim e ela com certeza vai pegar para usar, só que eu joguei as menores, então ela tem menos chance.

- Você é louca? Agora ela quer te matar, não ouve os gritos dela?

- Ouço Ammy, eu não sou moca. – Disse como se fosse óbvio

- Ai que ignorante você!

- O nosso trabalho é acertá-la escondida, e persegui-la, para descobrir aonde ela vai. – Ignorei a fala de Ammy

- Tá, você vai com o Justin e eu com o Tales.

- Eu já sei Ammy. – Rimos

- E eu gente? Vou sozinha? – Reclamou Ane

- Ah é, você vai com Tales e Ammy, já que não tem a defesa, que é Justin para distrair Caitlin.

- Ok.



Logo nos separamos e fomos andando na ponta dos pés para fazer o mínimo barulho possível, o que não era muito difícil por estarmos descalça. Caitlin ainda estava na janela da sala esperando alguém aparecer por lá. Subi para o meu quarto com o Justin e fomos para a sacada, subimos o telhado e ficamos vigiando Caitlin lá de cima, joguei uma faca em seu outro braço, o que à fez olhar para cima, gritando de dor. Ela pegou algumas facas e começou a jogarpara cima com toda a sua força, para que não voltasse e caísse em sua cabeça. Uma das facas acertou meu pé, me fazendo gritar um pouco alto, Justin me segurou e me levou para o meio do telhado, não podendo ser acertada por facas.



- Vai doer mais eu preciso tirar, se não infecciona.

- Não! Justin vai doer demais!

- Só na hora.

- Ai Justin, se ficar doendo eu te mato.

- Calma. – Ele se abaixou e puxou rápido, eu dei mais um grito e comecei a chorar

- Deixa de chorar Blaire, calma, eu estou aqui, já parou de doer.

- Tá ardendo.



Ele me acalmou um pouco, e foi aí que eu corri para o outro lado do telhado, com certa dificuldade, e Caitlin estava sem facas, deitada e reclamando da dor em seu corpo. Aproveitei para arremessar em sua barriga, e assim trincou por lá, e ela deu um grito agudo, eu ri um pouco, sou doce que nem limão.



- Eu posso te contar uma coisa que lembrei?

- Conta.

- Vinho vai te deixar bêbada, e tequila vai te deixar bêbada e grávida.

- E o que isso tem a ver Justin?
- Você já viu se tá grávida de mim? – Eu parei

- Não é possível...

- Você começa a sentir em cerca de um mês.

- Eu sei.

- Então, eu quero que você comece a sentir.

- Seu louco, eu tenho apenas quinze anos.

- Bom, vamos deixar isso pra lá, temos um problema que se chama Caitlin.



Assenti e corremos para dentro de casa, claro que ele me ajudou por causa do meu pé, que estava doendo demais, era quase impossível aguentar. Gritei pelos outros e logo eles apareceram, vi Tales olhar para onde estava machucado e correr até mim, para perguntar como foi que isso aconteceu. Adivinha Tales? Acho que foi um fantasma.



- Foi Caitlin? – Assenti. Vou matar ela!

- Relaxa, eu à acertei com quatro facas.

- Nossa, você tá ficando habilidosa em relação à facas.

- Fazer o que se sou foda. – Me senti

- Ei, nem se acha né? Bem, temos que segui-la, ela já tá saindo do jardim para ir pra seu “esconderijo”.

- Ok. Eu vou pegar umas belezas que tenho guardadas no meu guarda roupas. – Disse Justin



Vi ele se retirar do meu quarto e ir até o seu, voltando com algumas coisas atrás dele, e logo às jogou em cima da cama, Ane o olhou abismada. Tipo um “Você tem armas, és um criminoso?” Ele apenas negou, e ela suspirou, deixando o peso sair de suas costas. Ele entregou uma a cada pessoa, e eu fiquei sorrindo, olharam-me com medo e eu apenas dei de ombro.



- Estão carregadas?

- Claro, para que eu queria armas descarregadas?

- Só para enganar as pessoas. – Disse como se fosse óbvio

- Aff que merda. Bom, temos que estar preparados, corram para seguirmos ela.

- Temos um problema. – Eles me interrogaram. Estamos sem carro.

- Eu tenho um de sobra amor. Relaxa.



Assenti e logo corremos para a garagem, entramos em seu carro e ele tirou de lá, vimos Caitlin ligando seu carro, ele dirigiu por outro caminho, mais ainda podendo ver para onde ela ia, quando dobrou a rua, ele passou para o mesmo caminho, podendo prestar mais atenção onde ela ia. Chegamos onde deu um galpão, ele estacionou por trás de várias árvores, para ninguém ver ou desconfiar que tinha algo ou alguém os vigiando daquele local. Ela entrou lá e deixou o portão aberto, por ser um lugar meio deserto, entramos atrás dela, e logo se escondemos atrás de uns caixotes. Ela estava conversando com alguém.



- Conseguiu falar com ela?

- Ainda não chefinha, ela nem entra mais no Whats.

- Como não Luke? Eu preciso saber, ela tinha te falado que não ia mais ontem?

- Não!



Luke? Espera, ele estava me enrolando esse tempo todinho para eu me foder com a Caitlin? Eu não acredito que ele fez isso comigo, ai se eu o pego, eu vou matar ele. Quero ver ele decepcionado, e chorando por me fazer de idiota todo esse tempo conversando com ele. Fechei os olhos para não gritar ali mesmo com ele. Ele é um idiota.

~ + ~

Não me matem pelo tamanho do capítulo pelo amor de Deus, eu ainda vou postar outro capítulo.

2 comentários: